ESTAÇÃO DAS DOCAS 

          Inaugurada em 2000, o complexo turístico e cultural congrega gastronomia, cultura, moda e eventos nos 500 m de orla fluvial do antigo porto de Belém. São 32 mil m2 divididos em 3 armazéns e um terminal de passageiros, sendo o resultado de trabalho de restauração dos armazéns do porto. Os 3 galpões de ferro inglês exibem a arquitetura da segunda metade do século XIX. Os guindastes externos, foram fabricados nos USA, no começo do século XX e a máquina a vapor em meados de 1800, gerava energia para o porto. Nas ruínas do Forte de S. Pedro Nolasco, construído para a defesa da orla em 1665, foi construído um Anfiteatro. O espaço foi destruído após o Movimento da Cabanagem, em 1825, e revitalizado para a inauguração da Estação.                                                                                                                                             

      A Basílica de N. Sa. de Nazaré foi erguida no lugar em que foi achada a imagem da Santa pelo Caboclo Plácido. No Círio de Nazaré a imagem sai da Catedral e segue em procissão até a Basílica. É a única basílica da Amazônia Brasileira. Sua história, seu simbolismo e importância religiosa exercem uma profunda influência no imaginário religioso paraense. Foi elevada em 31 de maio de 2006 à categoria de Santuário Mariano. O atual templo, de suntuosos caráter neoclássico e eclético, começou a ser construído em 1909. O poeta maranhense Euclides Faria é autor de “Vós sois o lírio mimoso”,  hino oficial em louvor à Virgem, por lei considerada como “Rainha da Amazônia”, e que os carrilhões da Basílica tocam todos os dias, ainda hoje, às 6h, 12h e 18h.                                                                                                               

 BASÍLICA SANTUÁRIO DE NAZARÉ 

O Ver-O-Peso é um mercado situado em Belém. Símbolo da cidade, é sua maior atração turística, é a maior feira livre da América Latina. O mercado do Ver-O-Peso abastece a cidade com variados tipos de gêneros alimentícios e ervas medicinais vindos do interior paraense, principalmente por via fluvial. Foi eleito entre as 7 Maravilhas do Brasil. O mercado faz parte de um complexo arquitetônico e paisagístico que compreende uma área de 35 mil metros quadrados, com uma série de construções históricas, dentre elas o Mercado de Ferro, o Mercado de Carne, a raça do Relógio, a Doca, a Feira do Açaí, a Ladeira do Castelo, o  Solar da Beira e a Praça do Pescador. O conjunto foi tombado pelo IPHAN, em 1997.                                                                                            

 VER-O-PESO 

Inaugurado em 12 de janeiro de 2005, está localizado às margens do rio Guamá, em pleno centro histórico de Belém do Pará, no entorno do Arsenal da Marinha. O parque ecológico é resultado da revitalização de uma área de 40.000 m², uma síntese do ambiente amazônico no coração da capital paraense. As matas de várzea, os animais da região e mais de trezentas espécies de árvores nativas e plantadas estão presentes no espaço.                                                

O parque naturalístico apresentará as diferentes macrorregiões florísticas do Estado, ou seja, as matas de terra firme, as matas de várzea e os campos. Uma natureza recriada que só vai estar pronta daqui a 15 ou 20 anos.                                                                    

 MANGAL DAS GARÇAS 

A construção teve início em 1748. Em 1755 foi assumida por Antônio Landi, arquiteto italiano. Landi terminou a fachada, acrescentando as duas torres e o frontão. As torres não têm paralelos no mundo luso-brasileiro e são inspiradas em modelos bolonheses, região de origem do arquiteto. O imponente frontão, ladeado por pináculos piramidais neoclássicos, tem um perfil mais barroco-rococó e contém um nicho com uma estátua de N. Senhora. Foi concluída em 1782. O atual altar principal foi criado em Roma por Luca Carimini no século XIX, enquanto que as pinturas que decoram o interior foram realizadas pelos italianos Domenico de Angelis e Giusepe Capranesi. O grande órgão, da oficina do francês Aristide Cavaillé-Coll, foi instalado em 1882, sendo o maior órgão da América Latina.                                                                                        

 CATEDRAL DA SÉ 

O Teatro da Paz, que originalmente chamava-se Teatro N. Sa. da Paz, nome dado pelo Bispo Dom Macedo Costa, foi construído com recursos auferidos da exportação de látex, no Ciclo da Borracha. Atualmente é o maior teatro da Região Norte e um dos mais luxuosos do Brasil, sendo um dos teatros-monumentos do país.          

Ali Carlos Gomes encenou sua mais famosa ópera, O Guarani, e a bailarina russa, Ana Pavlova, passou com suas sapatilhas. O decorador desse cenário privilegiado foi o italiano Domenico de Angelis. Ele foi também o autor do belo painel representando os deuses gregos, Apolo e Diana, no cenário amazônico que fica no teto da sala de espetáculos.                                                                         

 TEATRO DA PAZ 

O Forte do Castelo do Senhor Santo Cristo do Presépio de Belém localiza-se na baía do Guajará, na ponta de Maúri, à margem direita da foz do rio Guamá, dominando a entrada do porto e o canal de navegação que costeia a ilha das Onças e a atual cidade de Belém Atualmente, nas instalações do Forte do Presépio, o Museu do Encontro conta um pouco do início da colonização portuguesa na Amazônia. Exibe também peças de cerâmica marajoara e objetos indígenas. No interior de suas muralhas ficam expostos antigos canhões e munição.

 FORTE DO CASTELO 

O Polo Joalheiro São José Liberto está instalado no antigo Presídio de São José, abriga hoje a Casa do Artesão e o Museu de Gemas do Estado. Reúne boxes que comercializam as peças lá fabricadas e também artesanato regional. Uma cela do presídio foi transformada em memorial. O Museu de Gemas do Pará tem peças arqueológicas, amostras de minerais e coleção de joias. Abriga um anfiteatro in door onde são realizadas manifestações culturais.   

 POLO JOALHEIRO 

 PARQUE ESTADUAL DO UTINGA 

O Parque Estadual do Utinga criado em 1993, tem área equivalente a 1/3 da área urbana, permitindo conferir um pedaço tranquilo da Amazônia a poucos quilômetros do centro. A área pode ser utilizada para caminhar, andar de bicicleta, e para aprender sobre a conservação do meio ambiente. Existem 8 opções de trilhas com diferentes percursos - todas em contato direto com as diversas espécies da fauna e flora da região. Ali podem ser encontradas diversas espécies de animais Amazônicos, como as serpentes coral, jararaca e piriquitambóia; aves como o quero-quero, jaçanã e pica-pau; mamíferos como capivara, preguiça e macacos, além das espécies de plantas nativas da Amazônia, entre elas a andiroba, a samaúma e a castanheira, que gera o fruto da castanha do Pará.      

O MPEG é a mais antiga instituição de pesquisa na região amazônica, cujas atividades se concentram no estudo científico dos sistemas naturais e culturais da Amazônia, assim como na difusão de conhecimentos e coleções relacionadas à região. É reconhecido mundialmente como uma das mais importantes instituições de investigação científica sobre a Amazônia brasileira. Possui 3 bases físicas, o Parque Zoobotânico (1895), o Campus de Pesquisa (1980), e a Estação Científica Ferreira Penna (1993) que fica na Floresta Nacional de Caxiuanã, Município de Melgaço, a aproximadamente 400 km de Belém. Desde o ano 2000, o Museu Paraense Emílio Goeldi saiu do âmbito do CNPq, ficando subordinado, diretamente, ao Ministério da Ciência e Tecnologia (MCTI).

 MUSEU PARAENSE EMILIO GOELDI 

O Museu de Arte Sacra de Belém, o primeiro no gênero em toda a região Amazônica, funciona no conjunto formado pela Igreja de Santo Alexandre e o Palácio Episcopal, no Bairro da Cidade Velha, núcleo que deu origem à cidade.                           

Com rico acervo de mais de 300 peças de arte sacra, considerado dos mais importantes do país, o Museu possui espaços específicos para exposição permanente, Galeria Fidanza, Café do Museu e Boutique Empório das Artes.             

 MUSEU DE ARTE SACRA 

Com extensão de 150 mil m2, o Bosque constitui uma importante reserva natural de espécies vegetais da floresta de terra firme do estuário amazônico. Inaugurado em 1883, o Bosque Rodrigues Alves ganhou status de Jardim Botânico em julho de 2002. Com a certificação, o Bosque entra na lista dos jardins brasileiros que integram a Botanic Gardens Conservation International (BGCI), rede mundial com 1.846 jardins em 148 países e mais de 4 milhões de coleções de plantas vivas. Entre as coleções estão mais de 80 mil espécies de plantas vasculares. No Brasil, país campeão da biodiversidade mundial - são mais de 50 mil espécies de plantas e 3 mil de peixes de água doce, a maioria na Amazônia - existem 26 jardins botânicos, distribuídos em 14 estados.

 BOSQUE RODRIGUES ALVES 

O Hangar é um centro de convenções localizado em Belém. A construção aproveitou um hangar metálico pertencente ao antigo Parque da Aeronáutica e da construção de novas estruturas similares a hangar. Deste modo, as principais características conceituais deste equipamento são grandes vãos livres, flexibilidade de uso, pé direito monumental e multifuncionalidade. É atualmente um dos maiores do Brasil e o maior da Amazônia. O Centro de Convenções e Feiras da Amazônia conta com uma área total de 64.000m² e 25.000m² de área construída totalmente integrada ao ambiente amazônico, o HANGAR está equipado com recursos de última tecnologia e preparado para qualquer tipo de evento, como feiras, congressos, convenções, encontros, seminários, simpósios e exposições.                                                                                                                    

 HANGAR CENTRO DE CONVENÇÕES 

Apenas 10 minutos de barco separam o centro de Belém da tranquilidade e exuberância da natureza que cerca a Ilha do Combú. É do outro lado do Rio Guamá que a vida simples dos ribeirinhos, às margens de igarapés e furos, passou a ser observada e explorada por belenenses e turistas do mundo todo. A ilha é um convite a se desligar dos problemas e presenciar o bucolismo da floresta amazônica.             

O local é acessado facilmente por barcos que saem regularmente da praça Princesa Izabel no bairro da Condor. Na ilha você encontra muitas opções de restaurantes e outaras atrações como banho de rio, artesanatos e os famosos chocolates.                                                            

 ILHA DO COMBÚ 

A ilha do Mosqueiro é um distrito administrativo de Belém. É uma ilha fluvial localizada na costa oriental do rio Pará, no braço sul do rio Amazonas, em frente à baía do Guajará. Possui uma área de aproximadamente 212 km² e está localizada a 70 km de distância do centro da capital Belém. Possui 17 km de praias de água doce com movimento de maré e ondas.                                                                       

As famosas tapiocas (tapioquinhas) da Vila são consideradas as melhores do Pará.                                                                                           

O nome "Mosqueiro" é originário da antiga prática do "moqueio" do peixe pelos indígenas tupinambás que habitavam a ilha.                       

 ILHA DO MOSQUEIRO 

Residência oficial dos governadores do estado a partir de 1934, teve como primeiro morador Magalhães Barata. A pavimentação é de pedras portuguesas por todo o parque, as luminárias de ferro, as estátuas de belas mulheres cobertas de tecido delicado, o palacete do início do século XX, o coreto e o orquidário. Tudo isso, ao som de araras, periquitos e outros pássaros da região.                                                                                                        

No local há também um anfiteatro, um teatro, um pequeno museu, um vagão da antiga estrada de ferro bragantina (sorveteria) e um restaurante.      

Parque da Residência um pedaço de uma outra Belém, um retalho do sonho urbanístico do início do século passado em pleno centro da cidade.                 

 PARQUE DA RESIDÊNCIA

 CASA DAS 11 JANELAS 

A Casa ou Palacete das Onze Janelas foi construía no século XVIII como moradia, por Domingos da Costa Bacelar, um rico senhor de engenho. Em 1768, foi convertida em hospital militar pelo governo do Grão-Pará. A casa teve funções militares entre 1870 e 2001, quando foi comprada pelo governo estadual para servir como ponto turístico.                                                                                                            

O edifício é parte do conjunto Feliz Lusitânia e abriga um espaço museológico. A área que envolve a Casa das Onze Janelas possui um conjunto de equipamentos culturais, como o Jardim de Esculturas, o Navio Corveta e o palco, que se projeta sobre a baía. Da área da Casa aprecia-se ainda uma bela vista da Baía do Guajará e do Mercado de Ver-o-Peso.                                                                      

Icoaraci é um distrito de Belém, distante aproximadamente 20 km do centro, que possui cerca de 300 mil habitantes. Localiza-se próximo da Ilha do Outeiro e dá acesso a ilha do Marajó através de travessias diárias de balsa. Icoaraci, que significa "de frente para o sol", é o nome atual da antiga Vila do Pinheiro.                                                                            

Icoaraci se destaca como importante polo de Artesanato em cerâmica e por possuir a praia fluvial mais próxima do centro de Belém. Os chalés do século XIX, alguns restaurados, dão um toque de charme à vila.                                                                              

 VILA DE ICOARACI 

Viva novas experiências